Educar para o pensar espírita é educar o ser para dimensões conscienciais superiores. Esta educação para o Espírito implica em atualizar as próprias potencialidades, desenvolvendo e ampliando o seu horizonte intelecto-moral em contínua ligação com os Espíritos Superiores que conduzem os destinos humanos.(STS)

Base Estrutural do ©PROJETO ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS (EFE, 2001): Consulte o rodapé deste Blog.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

A SÃO PAULO DE PAULO E DE EMMANUEL

(Fonte: internet - sem autoria)

Comemoramos nesta data 462 anos da fundação da nossa cidade.

E voltando atrás no tempo, lembramo-nos das palavras de Emmanuel, em A Caminho da Luz, dizendo que o acaso inexiste, quando mencionamos as fundações de cidades e Estados. Aliás, acaso, segundo Téophile Gautier, é o pseudônimo de Deus quando Ele não quer assinar a sua obra. Há uma união de intenções entre “terra” e “céu”, como se todos se reunissem para fazer cumprir propósitos superiores, preparando a primeira para o advento das populações que lá habitarão, com vistas ao desenvolvimento das leis de sociedade e progresso. É muito interessante esta análise, para a qual convidamos os nossos caros internautas. Vejamos a Lyon de Rivail e a Lugdunum de Ireneu, a Roma antiga e a atual, a Nova York de 200 anos atrás e a de agora, e assim sucessivamente. Há um planejamento realizado em outras esferas de existência e que muitas vezes escapa à nossa compreensão.

O mesmo livro citado, A Caminho da Luz, relata os bastidores da história, sob a análise crítica e lúcida de Emmanuel.

Mas vejamos a nossa querida São Paulo de Piratininga, inaugurada a partir de uma pequena vila onde índios, padres e sentenciados portugueses constituíam a sua população. Ainda hoje, na região da Sé, no Pátio do Colégio, a igreja de Anchieta guarda um museu de peças e imagens sacras dos séculos XVI a XVIII, seus objetos de uso pessoal bem como sua batina e terço, e a arquitetura da época também preservada e restaurada, onde é interessante notar uma parede do templo, antiquíssima, construída de barro, palha, areia, pedra e excremento de gado para dar a liga, preservada até os nossos dias, e resguardada entre duas outras paredes de vidro.

Contudo, o que nos chama a atenção, da dupla Nóbrega-Anchieta, é a posição do primeiro como educador, que à época se caracterizava como um misto de professor e catequizador - lembremos que a Educação naqueles tempos estava a cargo da igreja católica, que enviava seus representantes às terras recém-descobertas. Muito criticado por seus meios rígidos e ortodoxos, mas que na verdade compunham normalmente o procedimento dos membros do clero, e mais do que isso, dos homens e mulheres do século em que viveram, Nóbrega, que não poderia fugir às circunstâncias evolutivas, culturais, religiosas, antropológicas e psicológicas de sua época, não deixou de cumprir a sua missão. A maior delas, a efetiva fundação de São Paulo de Piratininga. E aí é que analisamos as circunstâncias.

Nóbrega é considerado uma das reencarnações de Emmanuel, também Públio Lentulus Sura e posteriormente Públio Lentulus, o escravo grego Nestório (veja-se as obras Há Dois Mil Anos e 50 Anos Depois do autor espiritual) e ainda o padre Damiano, em Ávila (veja-se o romance Renúncia), além de sua vida como o pensador e escravo cristão Eusébio (não confundir com Eusébio de Cesaréa). Por que Nóbrega deu o nome do querido Apóstolo à cidade?

Uma mensagem íntima de Emmanuel recebida por Francisco Cândido Xavier, em Pedro Leopoldo, a 13 de março de 1940, nos relata um encontro do senador Lêntulus com Paulo em Roma. A mensagem é a seguinte:

“Lede as cartas de Paulo e meditai. O convertido de Damasco foi o agricultor humano que conseguiu aclimatar a flor divina do Evangelho sobre o mundo. Muitas vezes foi áspero. A terra não estava preparada e se em alguns pontos oferecia leiras brandas e férteis, na maioria, era regiões em espinheiro e pedregulho.

Paulo foi o lidador de sol a sol. Seu fervoroso amor foi a sua bússola divina. Sua paixão no mundo, iluminada pela sua dedicação ao Cristo, transformou-se na base onde deveria brilhar para sempre a claridade do Cristianismo. Conheci-o, em Roma, nos seus dias de trabalho mais rude e de provações mais acerbas. Vi-o uma vez unicamente, quando um carro de Estado transportava o senador Públio Lentulus, ao longo da Porta Ápia, mas foi o bastante para nunca mais esquecê-lo. Um incidente fortuito levara os cavalos a uma disparada perigosa, mas um jovem cristão, atirando-se ao caminho largo, conseguiu conjurar todas as ameaças. Avistamos, então, um pequeno grupo, onde se encontrava a sua figura inesquecível. Trocamos algumas palavras que me deram a conhecer a sua inteireza de caráter e a grandeza da sua fé. O fato ocorria pouco depois da trágica desencarnação de Lívia e eu trazia o espírito atormentado. As palavras de Paulo eram firmes e consoladoras. O grande convertido não conhecia a úlcera que me sangrava no coração, todavia as suas expressões indiretas foram, imediatamente, ao fundo de minha alma, provocando um dilúvio de emoções e esclarecimentos.

Luzeiro da fé viva, Paulo não pode ser esquecido em tempo algum. Seu vulto humano é o de todo homem sincero que se toque de amor divino por Jesus. Lede-o sempre e não vos arrependereis”. (O grifo é nosso)

Tudo se assemelha ao coração imenso da cidade de São Paulo - a cidade de Paulo.

Conta-nos o Espírito Cneio Lucius (50 Anos Depois), que Paulo, no plano espiritual, sempre se dedicou a auxiliar “as grandes inteligências afastadas do Cristo, compreendendo-lhes as íntimas aflições e o menosprezo de que se sentem objeto no mundo, ante os religiosos de todos os matizes, quase sempre especializados em regras de intolerância”. E foi com esse sentimento de compreensão e bondade que fez com que o grande Apóstolo da gentilidade estendesse as suas preces e auxílio ao culto senador romano, quando de sua desencarnação na tragédia de Pompéia, continuando a ampará-lo espiritualmente em suas posteriores existências terrenas.

Emmanuel nunca mais o esqueceu, e na personalidade de Nóbrega, adia a inauguração do Colégio de Piratininga, a que dá o nome de São Paulo, para o dia da comemoração da conversão do Apóstolo, fixada em 25 de janeiro. Essa afirmação não é somente de Cneio Lucio. É mencionada pelos biógrafos do padre Nóbrega, entre eles Serafim Leite, José Mariz de Morais, e Melo Pimenta.

Em outro momento, já como o grande pensador cristão encarregado das diretrizes ético-morais do Espiritismo em terras brasileiras, como continuidade ao trabalho que ajudou a realizar há centenas de anos, surge, através da psicografia do não menos ilustre missionário da Bondade e da Humildade, Chico Xavier, a grandiosa obra “Paulo e Estêvão”.

E compreendemos a grande destinação desta que é considerada a maior cidade da América Latina. Hoje, no século 21, uma megalópole que abriga em seu coração, centenas de “gentios” oriundos de todas as terras, brasileiras ou estrangeiras. Tal como Paulo, que abrigou em seu imenso coração amoroso, os corações da gentilidade em sua época. Foi através deles que o cristianismo do Cristo cresceu e se espalhou pelo mundo.

E é em São Paulo hoje, que brasileiros e estrangeiros tomam um primeiro contato com a Doutrina da Paz, da Concórdia, do Conhecimento Transcendente e a levam em suas atitudes e consciências tornadas espíritas.

Cumpriu-se a grande missão compartilhada.

Sonia Theodoro da Silva
(texto revisado pela autora - 25 de janeiro de 2016).

COMPARTILHE, DIVULGUE !

www.filosofiaespirita.org

http://filosofiaespiritaencantamentoecaminho.blogspot.com

http://vervisaoespiritadareligiosidade.blogspot.com

http://filosofandocotidiano.blogspot.com

http://philospiriteravissementetcheminement.blogspot.com

http://spiritistphilosophy.blogspot.com

https://www.facebook.com/CEFEORG

AVISO :
PREZADOS AMIGOS BRASILEIROS E NATIVOS RESIDENTES EM OUTROS PAÍSES E QUE CONSULTAM NOSSO PORTAL DE ESTUDOS E SITES, SEJAM BEM VINDOS! 

ESTAMOS À DISPOSIÇÃO PARA DÚVIDAS, INFORMAÇÕES E SUGESTÕES ATRAVÉS TAMBÉM DE NOSSO FACEBOOK ACIMA E PELO EMAIL: VER_CEFE@HOTMAIL.COM

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A Autonomia da Consciência Desperta



 O vocábulo autonomia origina-se  do grego autonomos, de autos, “ele próprio”, e nomos, “lei”: “que se governa pelas suas próprias leis”. O filósofo Immanuel Kant diz que a autonomia consiste em ser simultaneamente “cidadão e legislador”.     

 A autonomia é a capacidade de autodeterminação. Um agente qualquer só pode ser  considerado autônomo quando suas ações são verdadeiramente suas e não motivadas por  influências ou fatores externos.  Kant então verificou que a vontade também tem a capacidade de se colocar em  conformidade com uma lei própria, que é a lei da razão. Neste sentido, o oposto da autonomia é a heteronomia, na qual a vontade é ditada pelos objetos do desejo e não mais pela razão.   

 Criado simples e ignorante, o Espírito, viajor do infinito segundo Plotino, vivencia estágios evolutivos, nos quais vai assimilando impressões e desenvolvendo todos os elementos constitutivos de sua natureza. A consciência vai desabrochando ao longo do tempo e situando-se conforme as Leis divinas que jazem no mais profundo do seu  Ser.   
 A jornada do Espírito, portanto, consiste nesse desenvolvimento, com a natural conquista das responsabilidades que lhes são inerentes. Vontade e livre-arbítrio  são os mecanismos condutores para este processo. Reencarnação e vida em planos de dimensões físicas e extrafísicas (por físico aqui entenda-se a consistência molecular da matéria densa) vão lhe conferir a necessária experiência de que carece para as aquisições definitivas de seu próprio desenvolvimento.      

Ainda há que considerar as liberdades inerentes ao indivíduo,
que  se manifestam conforme a sua integração nas sociedades em que vai sendo conduzido a viver: a liberdade sociológica, relacionada à autonomia individual em frente à sociedade, com garantias de liberdade civil ou política ; a liberdade psicológica, em que o indivíduo se sente “dono de si mesmo”; e a liberdade moral, como capacidade que o indivíduo tem de decidir-se a atuar de acordo com a razão sem se deixar dominar pelos impulsos e as inclinações espontâneas da sensibilidade.   


O Espiritismo acentua os poderes da terceira liberdade, mencionada acima, como condutora do despertar gradativo da consciência, o qual confere ao Espírito as condições adequadas para a necessária, imprescindível e eterna ascensão a padrões evolutivos cada vez mais elevados.   Quando o Espírito estaciona nas ilusões da matéria, surgem os mecanismos desse despertamento, e então  as dores, os sofrimentos de maior ou menor intensidade se ocuparão de fazer com que retome a sua caminhada.    

  Se o nosso modelo é Jesus de Nazaré, conforme confirmam os Espíritos superiores a Allan Kardec, sigamos os seus exemplos, os seus ensinamentos, as suas virtudes, a sua vida.    

 Não há outra alternativa – vivemos momentos de transição moral;trazemos conosco os atavismos do passado milenar com a predominância de conflitos armazenados a requererem revisão.  Nada a lamentar, portanto, os dramas atuais que a sociedade plantou em 6.000 anos de civilização, com menos de 100 anos de paz. Cabe-nos, hoje, a vivência espírita-cristã, como centenas já o fazem, semeando novos plantios de compaixão e fraternidade para que nosso futuro próximo ou longínquo nos traga o tão sonhado reino dos céus consciencial. 
 
Sonia Theodoro da Silva

www.filosofiaespirita.org

O ALÉM E A SOBREVIVÊNCIA DO SER



     A dinâmica de nossas existências atuais transferiu, para as religiões, os questionamentos sobre a natureza do Ser, suas origens, sua destinação e o porquê da dicotomia entre o ser espiritual e o ser público ou da vida real. Se a tecnologia nos aproximou uns dos outros, através dos smartphones, computadores  etc., se a internet nos conecta em tempo real com o mundo, embora este seja um mundo vigiado e condicionado, nunca foi tão grande o desconhecimento quanto às questões que envolvem a morte e a possibilidade da continuidade da vida em outras dimensões.      

Nos países de primeiro mundo, onde as universidades desenvolvem o saber, são raras as cadeiras de estudo sobre a sobrevivência do Espírito, tratado pejorativamente como “fantasma” ou como um ser diabólico que aterroriza os vivos, levandoos a processos patológicos e autodestrutivos, principalmente pelo cinema e pelos seriados de TV. Há o caso pioneiro da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, onde a paranormalidade é assunto sério. No Brasil, há estudos concernentes às experiências de quase morte por parte de pesquisadores da Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Ainda nos EUA, o dr. Raymond Moody Jr. investiga as possíveis relações entre os “mortos” e seus parentes vivos. Seu trabalho tem  demonstrado, a partir de pesquisas realizadas sobre os oráculos na Grécia Antiga, onde as comunicações eram constantes e reais, que os contatos intramundos sempre fizeram parte de nossa  civilização.   

Sem dúvida que o Espiritismo, com o seu despojamento místico e mítico, trouxe-nos um outro cenário da vida após a morte: continuamos a existir e a consistir (consistência aqui são todos os arquivos de nossas experiências  registrados em nosso inconsciente); continuamos a traçar os rumos de nossos destinos, continuamos a exercer o livre-arbítrio cada vez mais livre à medida que nos tornamos diretamente responsáveis pela Vida.  E o nosso maior exemplo de que ela continua após a morte ainda é e será sempre Jesus, despojado da mitologia criada em seu derredor, consumido que foi ao longo dos séculos, pois misto de herói grego com profeta judaico. E é Ele quem volta, em toda a sua plenitude, a demonstrar que a morte não existe, não passa de invenção humana, produto do vazio existencial que habita este plano moral de existência, através da visão espírita, que não é religiosa no sentido ritualístico, mas libertadora, conscientizadora, reveladora.    

Léon Denis, o consolidador do Espiritismo na França após o falecimento de Allan Kardec, traz reflexões extremamente atuais em sua vasta obra, na qual destacamos o pequeno grande livro que traz o título de nosso artigo, em que apresenta um elenco de provas capazes de confirmar a opinião de  quem quer que investigue a chamada suposta vida após a morte. E finalizamos as nossas reflexões com suas palavras abaixo, deixando uma pergunta no ar: as relações humanas se modificariam para melhor se nos identificássemos como seres imortais?   

“Não é um comovente espetáculo ver os que acompanham um enterro? A estes eu direi: o além é apenas o que nossos sentidos não atingem.”  
Sonia Theodoro da Silva

www.filosofiaespirita.org
Jornal de Estudos Psicológicos  -  Ano VII  l  N° 32  Londres, Inglaterra.
   

sexta-feira, 1 de maio de 2015

A Ciência da Fé


 

Desde o surgimento da Ciência, ou mais precisamente das ciências, a começar por Aristóteles, e posteriormente com René Descartes, a religiosidade esteve apartada do desenvolvimento das pesquisas científicas. A filosofia de Aristóteles dominou o pensamento europeu a partir do século XII, porém, a revolução científica dos séculos XVI e XVII muda este quadro inserindo mudanças nos métodos científicos. Sem dúvida que a Ciência é uma das vozes da cultura humana, contudo, em não admitindo a força da fé, principalmente no campo da medicina, mais precisamente nos tratamentos para o restabelecimento da saúde humana, deixa de compartilhar de uma das mais belas formas de integração do homem com a vida. Nos EUA, pesquisadores em Neurobiologia dizem ter localizado no sistema límbico cerebral o deflagrador das experiências religiosas. Essa região do cérebro vincula experiências vividas a nosso universo emocional, e os testes realizados em monges budistas e freiras católicas demonstraram as atividades cerebrais intensas quando em estado de meditação e prece.

No Brasil, o neurocientista dr. Ricardo Leme, ligado à Associação Médico-Espírita do Brasil,  preconiza o desenvolvimento de sentimentos de gratidão à vida e o que ele denomina de dom supremo (de Deus), o amor, exemplificado por Jesus, para o bem estar físico, emocional e espiritual, pois esses estados de alma agem nos neurotransmissores e nas endorfinas facilitando a manutenção do estado de saúde e até a cura de enfermidades. Segundo ele, o estudo da neurobiologia da fé talvez possa ser a ferramenta a mais na busca pelo algo que falta à humanidade para o seu funcionamento mais harmônico como um todo. 

Jesus de Nazaré, em sua jornada de paz sobre a Terra, dizia aos enfermos curados por seu amor: “a tua fé te curou”, porém, acrescentava: “mas não tornes a pecar”, como um alerta à grande responsabilidade que temos perante o dom da Vida e a oportunidade da reencarnação, a nós concedidas pelo imenso amor de Deus.  Façamos por merecê-las – hoje e sempre.   

 Sonia Theodoro da Silva  -  São Paulo – SP


quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

TEMPO...


Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão pra qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente...

Para você, desejo o sonho realizado. O amor esperado. A esperança renovada.

Para você, desejo todas as cores desta vida. Todas as alegrias que puder sorrir. Todas as músicas que puder emocionar.

Para você neste Ano Novo, desejo que os amigos sejam mais cúmplices, que sua família seja mais unida, que sua vida seja mais bem vivida.

Gostaria de lhe desejar tantas coisas, mas nada seria suficiente...

Então ,desejo apenas que você tenha muitos desejos, desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto ao rumo da sua Felicidade!!!
(Carlos Drummond de Andrade)

Que Deus abençoe os dias que virão, que sejam plenos de Paz e prósperos de Esperança e de Realizações!

 Sonia Theodoro da Silva - dezembro 2014

sábado, 23 de agosto de 2014

ENCONTROS COM HERCULANO PIRES - ASSISTA NO LINK Conferência Sonia Theodoro da Silva: Vampirismo sob o olhar da filosofia Espírita


BASE FILOSÓFICA MICHEL FOUCAULT, PATRICK VIGNOLES, JOSÉ HERCULANO PIRES.

ASSISTA A CONFERÊNCIA REALIZADA NA FUNDAÇÃO MARIA VIRGÍNIA E JOSÉ HERCULANO PIRES NA ÍNTEGRA DIRETAMENTE  DA VIDEOTECA DO CEFE NO LINK ABAIXO:  

https://www.youtube.com/watch?v=HYBR6UFnW18&list=PLkVfNSdnwuaFWB-TohFYHws3gpqGthJ3g&index=70

quinta-feira, 1 de maio de 2014

O FILHO DE DEUS


O filme "O Filho de Deus" (veja nossa postagem abaixo A Bíblia) nos remete a uma imagem - além, naturalmente da história de Jesus segundo o Evangelho de Mateus - diferente do Mestre Divino, como o cinema o tem apresentado até agora; desta vez, Diogo Morgado confere um perfil amoroso, participativo, compassivo e compreensivo das dores e das inferioridades humanas ao personagem. O filme conquistou as bilheterias dos EUA e do Brasil (veja-se o artigo do Editor de o Estadão on line) - notícia auspiciosa, já que estamos precisando muito de Jesus em nossas vidas, seja em que parte do mundo. Veja o trailler abaixo:




  

sábado, 21 de dezembro de 2013

FELIZ NATAL COM JESUS!!!


ELE ENSINOU-NOS O CAMINHO... SIMPLICIDADE, NOBREZA DE SENTIMENTOS, LUZ NA ALMA E NAS AÇÕES, ATITUDES FRATERNAS E AMIGAS, ENERGIA FIRME E CONSTANTE CONTRA A MALDADE E A IGNORÂNCIA, ENSINANDO, INDICANDO CAMINHOS, MOSTRANDO COMO AGIR... JESUS, LUZ DE MINHA ALMA, SEJA BEM VINDO MAIS UMA VEZ ENTRE NÓS, PEQUENOS DIANTE DE TANTO AMOR E GRANDEZA DE ALMA..
INSPIRA-ME MESTRE,  INSPIRA-NOS A TODOS NESTE MOMENTO DE PROVAS E EXPIAÇÕES PELO QUAL TODOS ATRAVESSAMOS, SEJA A NOSSA LUZ A BRILHAR CONSTANTEMENTE  E PARA SEMPRE !  

domingo, 7 de julho de 2013

FACULDADE EXTRASENSORIAL



A história registra as ações dos que ousaram transgredir com os sistemas vigentes, fossem eles políticos, religiosos, acadêmicos. Carl Gustav Jung foi um desses divinos transgressores; para ele, a vida não se limitava do berço ao túmulo: “o homem, ser racional, era dotado de faculdades extrasensoriais que lhe permitiam ultrapassar os limites comuns de espaço e tempo, devassando o passado distante e tendo premonições acerca do futuro” (Boletim SEI, no. 1963/2005).   

As faculdades extrasensoriais estiveram presentes nos oráculos gregos e babilônios (o mais famoso de todos foi o Oráculo de Apolo, em Delfos), no mundo judaico, com o colegiado de médiuns presidido por Moisés e, antes dele, no Egito, onde o líder da nação hebraica aprendera com os sábios e iniciados de seu tempo, a profetizar, além de outras modalidades extrasensoriais, aliada à eficaz mediunidade de que era portador. Mais recentemente, Emmanuel Swedenborg, clarividente sueco, foi investigado e estudado pelo eminente filósofo Immanuel Kant, impressionado pela precisão de suas informações acerca de um incêndio visto por ele à distância, em cidade próxima. 


Muito embora a filosofia tradicional, hoje, pouco se interesse pela paranormalidade, está reservado  à Ciência  comprovar o que o Espiritismo tão judiciosamente estudou, através de Allan Kardec, fundamentando através de fatos a maior descoberta de todos os tempos: o Espírito humano sobrevive à morte. Tal comprovação certamente acarretará graves consequências ao materialismo niilista.

Sonia Theodoro da Silva, São Paulo - SP  

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

SONHOS FISIOLÓGICOS, PSICOLÓGICOS E ESPIRITUAISF


A causa dos sonhos e o seu significado sempre foram motivo de grande curiosidade e preocupação. Em O Livro dos Médiuns, Allan Kardec destaca que a Ciência de seu tempo jamais explicou as origens de tais fenômenos. As explicações atuais, ainda incompletas, que consideram apenas as razões psicofisiológicas – enfermidades, transtornos psíquicos, condições de vida profissional e econômica, influências relativas aos costumes da modernidade, tais como o uso de drogas lícitas e ilícitas, a sexualidade como produto descartável, as ansiedades e o stress gerados por todo esse processo, acrescidos às condições políticas mundiais a nos trazerem expectativas com relação ao futuro – realmente originam sintomas, os mais diversos, a refletirem na qualidade do sono.

Porém, o que a Ciência insiste em ignorar são as razões espirituais – experiências contundentes relacionadas às vidas anteriores que interferem nos relacionamentos e comportamento da existência atual, as influências de mentes e emoções de desencarnados sobre os indivíduos, estejam ou não relacionadas diretamente às suas ações pregressas, além de conflitos de ordem interna relativos à sua própria herança genética.

Com O Livro dos Espíritos, questões 400 a 412, deduzimos: somos herdeiros de nós mesmos, ou seja, a nossa história se repete porque insistimos em desempenhar os mesmos personagens. O atual momento é de reflexão e de mudanças na maneira de agir e de pensar e de, sem receios, desenvolvermos valores e virtudes. Este é o caminho.

Sonia Theodoro da Silva.

(Publicado em Nov/Dez 2012 nos seguintes periódicos: The Journal of Psychological Studies - Science, Philosophy and Religion;Journal Psychologischer Studien - Wissenschaft, Philosophie und Religion; Periódico de Estudios Psicológicos - Ciencia, Filosofía y Religión; Giornale di Studi Psicologici - Scienza, Filosofia e Religione; Journal d´études psychologiques - Science, philosophie et religion).

domingo, 16 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL COM JESUS! MERRY CHRISTMAS WITH JESUS!


SÃO OS VOTOS DA EQUIPE DO PROJETO ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS!

VISUALIZE O NOVO PORTAL DE ESTUDOS ESPÍRITAS - CEFE-CENTRO DE ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS: WWW.FILOSOFIAESPIRITA.ORG


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

CEFE: NOVO PORTAL DE ESTUDOS ESPÍRITAS www.filosofiaespirita.org



CONFORME ANUNCIAMOS, O PORTAL DE ESTUDOS ESPÍRITAS CEFE-CENTRO DE ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS JÁ ESTÁ ON LINE!!
CRIADO EM 03 DE OUTUBRO DE 2012, ELE TEM OS SEUS OBJETIVOS FIXADOS EM SEU PROJETO (MENU INSTITUCIONAL: O PROJETO).

NESTE PORTAL ENCONTRAREMOS OS MÓDULOS DE ESTUDO E PESQUISA EM FILOSOFIA ESPÍRITA, O VER-VISÃO ESPÍRITA DA RELIGIOSIDADE E FILOSOFIA ESPÍRITA E MEDIUNIDADE, ACRESCIDOS DE DOCUMENTÁRIOS, INDICAÇÕES DE FILMES, PALESTRAS, AULAS ESPECIAIS GRAVADAS, DOWNLOADS DE LIVROS ESPÍRITAS, 07 BLOGS DO PROJETO ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS COM MAIS DE 70.000 ACESSOS, E O CEFE NO EXTERIOR.

NO FUTURO TEREMOS MUITO MAIS - ESTE É UM PORTAL QUE TAMBÉM TEM A PARTICIPAÇÃO DOS ESTUDIOSOS DOS GRUPOS DE ESTUDO EM FILOSOFIA ESPÍRITA E DO VER: SUA DEDICAÇÃO AO ESTUDO E PESQUISA E A ATENÇÃO QUE TÊM DEMONSTRADO À FILOSOFIA ESPÍRITA E À ABORDAGEM DO VER DEMONSTRAM O SEU TOTAL ENGAJAMENTO À PROPOSTA DO ESPÍRITO DA VERDADE, A DO ENOBRECIMENTO DO ESPÍRITO ATRAVÉS DO ESPIRITISMO COMPILADO POR ALLAN KARDEC.

NESTE GRAVE MOMENTO DE NOSSA EVOLUÇÃO, TODAS AS INICIATIVAS QUE POSTULEM A BOA E CORRETA DIVULGAÇÃO E INCENTIVEM AO PLENO ENGAJAMENTO À CAUSA DE JESUS DE NAZARÉ REVISITADA PELA DOUTRINA ESPÍRITA SÃO VÁLIDAS:

"SE VOS DIZEIS ESPÍRITAS, SEDE-O DE FATO" (PAULO APÓSTOLO, LYON, 1861 - ESE, CAP. X, IT.14):

http://www.filosofiaespirita.org

PORTANTO, ESTÃO TODOS CONVIDADOS A PARTICIPAREM DESTA CAUSA: ESTUDO APROFUNDADO, PESQUISA, INTERATIVIDADE, DIVULGAÇÃO, ENGAJAMENTO PLENO.
FRATERNALMENTE,
EQUIPE CEFE-CENTRO DE ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS

OS SETE BLOGS DO PROJETO ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS CONTINUARÃO A SER UTILIZADOS - TAMBÉM PODEM SER ABERTOS ATRAVÉS DO SITE www.filosofiaespirita.org.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO E DA REFLEXÃO ESPÍRITAS


Sem dúvida alguma estamos atravessando momentos marcantes em nossa evolução intelecto-moral; os conflitos humanos alcançam proporções antes nunca vistas, pois se espalham pelo planeta de provas, sem respeitar fronteiras, culturas, costumes, etnias...
Por volta da década de 1990, a BBC londrina fez um documentário sobre três grandes cidades: Nova Iorque, Londres, Rio de Janeiro; tratava-se de uma análise sob o ponto de vista social e cultural, e os prováveis conflitos que poderiam advir nessas metrópolis se medidas de contenção e prevenção e posteriores mecanismos educacionais não fossem tomados. As duas primeiras cidades conseguiram superar momentos difíceis - porém, o nosso Rio de Janeiro transformou-se em campo de batalha com a presença do Exército nas favelas. Permanecem os riscos advindos do tráfico de drogas, flagelo mundial, bem como a ausência de primazia para a educação e saúde, além de muitos outros problemas.
Bezerra de Menezes, quando presidente da Câmara dos Deputados do Rio, na segunda metade do século XIX, dizia que era urgente o encaminhamento dos escravos recém libertos e de outros grupos minoritários que se instalavam aos pés dos morros cariocas, "para que evitássemos grandes dramas no futuro."

A pensadora Hannah Arendt analisou o período entre as duas guerras mundiais, descrevendo a base popular que levou ao surgimento dos sistemas totalitários. Ao contrário daqueles dias, a segunda metade do século XX tornou-se um fragmento do realismo cru daqueles dias, porém, desprovido dos rituais que caracterizaram o grande império nacional-socialista e seus marionetes europeus e asiáticos.

Também no início da década de 1990, Hans Magnus Enzensberger, alemão,doutor em filosofia e literatura na Sorbonne em Paris, poeta, ensaísta, tradutor, escreveu um livro traduzido para o português, "Guerra Civil", a partir da coletânea de três ensaios. Neste livro, o prof. Enzensberger faz uma análise dos motivos e das causas que originaram as guerras da Antiguidade, até a ênfase nos século XIX e XX. São suas as palavras, destacadas do livro citado:
Ao contrário das guerras antigas e até das I e II Guerras Mundiais, "o ódio é suficiente para o surgimento dos conflitos nas grandes cidades. A agressão não é dirigida somente ao outro, mas também à vida desprezível que se leva. Segundo as palavras de Hannah Arendt, é como se para os criminosos, viver ou morrer, se tivessem nascido ou jamais tivessem vindo à luz, fosse a mesma coisa."
O livro é uma análise forte e vigorosa das razões que levam jovens adultos a se engajarem em projetos suicidas, sob a mais clara antropofagia materialista.

Urge que revelemos às crianças e aos jovens que eles são Espíritos reencarnantes; que a morte não existe, que eles reencarnaram para o cumprimento de compromissos com o passado e vinculados às realizações do presente que lhes trarão um futuro de Paz e felicidade interior.

Urge cercarmos as nossas crianças e jovens de Conhecimento, o Conhecimento Espírita, que, além de lhes revelar a sua natureza de Espíritos imortais, lhes confere responsabilidade sobre os próprios pensamentos, atos e atitudes, estimulando assim o exercício da ética cristã e espírita, da moral de Jesus de Nazaré.

Urge cercá-los de muito diálogo, do sentimento de segurança emocional que somente o Espiritismo bem conhecido e vivido no lar e na sociedade poderá lhes garantir. Mas acima de tudo, de amor, educação e direcionamento.

Foi pensando em todas essas questões, e estimulados pelos mais de 55.000 acessos em nossos sete (07) Blogs de estudos, que decidimos abrir um Portal que pudesse abranger o Conhecimento espírita de forma objetiva e suscinta, além de orientativa de meios de obtenção do vero Conhecimento Espírita tal como os Espíritos Superiores orientaram a Allan Kardec.

O Portal CENTRO DE ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS conterá os programas estudados nos Grupos de Estudo e Pesquisa, bem como documentários, palestras, links de livros e instituições espíritas no Brasil e no exterior que seguem esses objetivos preconizados pelo Espírito da Verdade, e muito mais.

Já lançado em 03 de outubro de 2012, data em que se comemora o aniversário do Codificador bem como a data em que o abnegado médium Francisco Cândido Xavier foi eleito pelos brasileiros como "O maior brasileiro de todos os tempos”, estará on line em breve.
Aguarde !!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

CHICO XAVIER, O MAIOR BRASILEIRO DE TODOS OS TEMPOS

Momento comemorativo do Evento


Ontem, 03 de outubro, data de aniversário de chegada entre nós do Apóstolo de Jesus, Allan Kardec, Chico Xavier, com mais de 70% dos votos coletados por uma emissora de televisão, foi consagrado como "O maior brasileiro de todos os tempos".

Certamente que Chico, com sua notória humildade dispensaria mais esta homenagem, atribuindo-a a Jesus e ao Espiritismo - o que seria de se esperar que assim o fizesse, pois ele nunca quis os holofotes da fama sobre si. Sem dúvida que muitos dos demais indicados legaram, com suas vidas inteiras dedicadas a um ideal específico, o seu exemplo que merece o nosso eterno apreço e admiração: Princesa Isabel e Santos Dumont ("concorrentes" de Chico), Tiradentes, Irmã Dulce, Ayrton Senna, além de outros, nas áreas do esporte, da política, das ciências médicas, etc., porém, o que ficou gravado na memória dos brasileiros foi a presença amorosa de Chico Xavier, como legítimo representante do Amor de Jesus de Nazaré e do Espiritismo, a Sua Promessa de Paz e de amor entre os homens.

Chico Xavier, que em 2012 completa 10 anos de Vida Plena nas dimensões extra-físicas, certamente receberá, com muito carinho e o amor de sempre, mais esta homenagem de pura gratidão de todos os que levaram o seu nome e o do Espiritismo à divulgação plena pelos meios de comunicação.

Para nós encarnados, espíritas, a imensa responsabilidade de continuar a bem representar nos corações, na inteligência e nas obras esse legado de paz e de Amor de Jesus de Nazaré, de Allan Kardec, e de Chico Xavier.

Veja em: http://www.sbt.com.br/omaiorbrasileiro/

domingo, 23 de setembro de 2012

A PRIMAVERA CHEGOU!!

(Flora e Fauna brasileiras - Portinari)

E com ela, as nossas esperanças se reavivam... é a Natureza a demonstrar que a vida, não obstante os empeços, as dificuldades, as tormentas, as tempestades, sempre trará de volta o sol, as flores, os campos, a brisa suave, a chuva refrescante, os ventos que limpam e renovam o ar...

A nossa parte deve ser feita; recomeçar e recomeçar sempre, afinal, a reencarnação nos trouxe de volta para o recomeço, não é mesmo?

Vamos continuar, com os compromissos assumidos, com os estudos aprofundados que libertam a nossa consciência, com o exercício do amor ao próximo e à bela, magnífica Natureza que nos acolhe com sua beleza, dizemos, plenos de Vida e de Esperanças:
BEM-VINDA, PRIMAVERA

sábado, 28 de julho de 2012

O MUNDO QUE QUEREMOS (2)

(Fotos: arquivo Sonia Theodoro da Silva)

Ontem, 27 de julho de 2012, as Olimpíadas de Londres foram abertas. Muito mais do que apenas disputar, há o consenso de participação, de autosuperação, de confraternização entre os povos, entre atletas de diferentes culturas dos cinco continentes, num dos aspectos que podem unir a todos: o esporte, além da música. E ambos estavam presentes na festa de Abertura de ontem.

Os ingleses encenaram quadros sobre a história do Reino Unido (lógico), com apelo shakespeariano à união e ao destemor (discurso de Rei Lear com o ator Kenneth Branagh) mas também deixaram claro que apoiam iniciativas que induzam à Paz e a Confraternização. Um exemplo disto foi a presença da brasileira Marina Silva, que entrou carregando a bandeira com os anéis olímpicos juntamente com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o maestro argentino Daniel Barenboim (veja o nosso artigo em http://filosofandocotidiano.blogspot.com) e prêmios Nobel da Paz. A ex-ministra brasileira é reconhecida internacionalmente por seu trabalho em defesa do meio ambiente. O único momento dissonante da festa foi a entrega da bandeira por parte dos portadores representantes da Paz a militares das três armas - num significativo "recado" subliminar porém evidente de que quem mantém a "paz" é a guerra; a presença dos guarda-costas junto a presidentes ou seus representantes, e do aparato militar presente na cidade que o diga.

A Filosofia Espírita, que chegou até nós num dos momentos mais importantes de nossa evolução, num país que, embora portador da bandeira "Igualdade, Fraternidade e Liberdade" foi quase destruído pela 1a. Guerra Mundial e na sua sequência (já que apenas fora assinado um armistício em 1917), deixa claro que essa duplicidade, essa convivência entre a Paz e a guerra tem que terminar. Seja porque ela é fomentada pelos interesses mesquinhos dos líderes das nações, seja porque o ser humano ainda a mantém ( a guerra) dentro de si.

Um sinal inequívoco de que a maioria opta pelas ações em prol da Confraternização universal, com apoio aos Pacificadores, foi a presença deles carregando a bandeira branca das Olímpíadas, bem como a presença dos corajosos atletas dos países que se encontram em guerra atualmente, a destacar os sírios e o olhar de seu porta bandeira, ao mesmo tempo alegre, pela presença na festa olímpica e triste pela tragédia que ocorre em seu país.

O mundo que queremos passa pelo respeito à Vida, de qualquer forma manifesta. Os ensinamentos dos grandes mestres e do maior deles, Jesus de Nazaré, evocam sempre essa mensagem: fomos criados pelo e para o Amor - amor sublimado que se expressa através de gestos como esse que acabamos de ver. Porém, os pequenos gestos do cotidiano refletem a nossa adesão ao Bem, aquele Bem definitivo que todos ansiamos ver nos outros, mas que poucas vezes temos exercitado em nós mesmos de forma definitiva.

Fotos: arquivo Sonia Theodoro da Silva; Imagens: TV Record, São Paulo.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sobre a descriminalização do aborto anencefálico



À SEMELHANÇA DE NOSSA CAMPANHA ANTERIOR "DESCRIMINALIZAR OU EDUCAR", CONTRA A DESCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS, POR ENTENDERMOS QUE ATENTA CONTRA A DIGNIDADE HUMANA SOB TODOS OS PONTOS DE VISTA INCLUSIVE ESPIRITUAL, veja os artigos sobre o tema acima referenciado no blog http://filosofandocotidiano.blogspot.com.

quinta-feira, 1 de março de 2012

BEM VINDOS !



Começamos mais um ano letivo de estudos aprofundados de nossa Doutrina de Luz, seja bem vindo às aulas presenciais, seja bem vindo aos blogs, você que estuda conosco através deles, e consulte-os, todos os blogs do Projeto Estudos Filosóficos Espíritas; se tiver alguma dúvida, mande emails para os endereços que constam dos blogs. TAMBÉM CONTINUAREMOS A POSTAR AS AULAS DESTE BLOG EM SUA CONTINUIDADE - SE VOCÊ ESTÁ ACOMPANHANDO, INTERAJA CONOSCO, ESCREVA PARA OS ENDEREÇOS MENCIONADOS.

A Filosofia Espírita propicia a mudança de nossa visão de mundo - não podemos mais esperar que isto simplesmente aconteça por si mesmo - e não acontecerá por obra do acaso - é preciso que queiramos ampliar os nossos conhecimentos para a finalidade superior de nossas vidas - crescermos em Espírito e Verdade !

Abraço fraternal,
SONIA THEODORO E EQUIPE EFE-VER 2012

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

CARNAVAL OU MOZART ? (DIÁLOGO ATEMPORAL)




CONVIDAMOS A TODOS PARA A LEITURA E REFLEXÃO DO TEMA ACIMA; LÉON DENIS NOS PRESENTEIA COM O SEU PENSAMENTO ACERCA DA MÚSICA E DAS ARTES E DE COMO ELAS PODEM TRAZER ALEGRIA, E BEM ESTAR.

CLIQUE SOBRE OS GADGETS, OUÇA AS MÚSICAS E CONFIRA !

ACESSE O ARTIGO "CARNAVAL OU MOZART? (UM DIÁLOGO ATEMPORAL)" NO BLOG http://filosofandocotidiano.blogspot.com

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SOBRE "O LIVRO DOS MÉDIUNS", ALLAN KARDEC



VEJA ESTE E OUTROS ARTIGOS SOBRE MEDIUNIDADE E FILOSOFIA ESPÍRITA EM WWW.FILOSOFIAESPIRITA.ORG

VEJA TAMBÉM  OUTRAS REFLEXÕES SOBRE MEDIUNIDADE NESTE BLOG

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Olá, Bem-vindo ao blog !



Estamos em férias, em breve reiniciaremos as aulas presenciais nas dependências do Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz, instituição que apóia plenamente o PROJETO ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS.

As aulas presenciais do PROJETO EFE constituem-se de Grupos de Estudo e Pesquisa aprofundados em FE-Filosofia Espírita, o VER-Visão Espírita da Religiosidade e FEM-Filosofia Espírita e Mediunidade.

Enquanto aguardamos as novas abordagens para este ano de 2012, continue acessando este blog, assista aos documentários e filmes pertinentes aos Programas do PROJETO EFE que estão sendo postados ao longo deste período que antecede as nossas aulas, pois o bom espírita é aquele que jamais deixa de estudar e pesquisar !

Até breve ! !



Já estão abertas as inscrições para GRUPOS DE ESTUDO E PESQUISA em FILOSOFIA ESPÍRITA e RELIGIOSIDADE ESPÍRITA (VER-Visão Espírita da Religiosidade: http://vervisaoespiritadareligiosidade.blogspot.com

sábado, 24 de setembro de 2011

70 ANOS DE 'PAULO E ESTÊVÃO'


PAULO DE TARSO / REMBRANDT

"PAULO E ESTÊVÃO", é obra de autoria do Espírito Emmanuel, através da prodigiosa e lúcida mediunidade psicográfica de Francisco Cândido Xavier. Trata-se de romance épico escrito em 1941, e relata a história do Apóstolo dos Gentios, Paulo de Tarso e a saga dos antigos cristãos, na implantação do Evangelho de Jesus em terras israelitas e estrangeiras. Até então, só tínhamos notícias parciais destes acontecimentos, através dos Atos dos Apóstolos, e do Novo Testamento. Na busca pelo Jesus histórico, muito se tem escrito com base em descobertas arqueológicas na região do Oriente Médio, mas somente com o surgimento do Espiritismo em 1857, a mediunidade espírita, consagrada pelo trabalho investigativo de Allan Kardec pode alcançar o justo patamar que lhe é devido. E tivemos presente entre nós, a partir de inícios do século XX, médiuns, além do já citado Chico Xavier, Zilda Gama, com trabalhos psicográficos do Espírito Victor Hugo, Yvonne do Amaral Pereira, psicografias dos Espíritos Léon Tolstoi, Bezerra de Menezes e Fréderic Chopin (testemunho acerca das dimensões espirituais onde o compositor habitava), Carmine Mirabelli, médium de efeitos físicos e intelectuais, psicografias de Sócrates, Platão, Camões, Francisco de Assis, Joanna D’Arc, dentre outros.
Théophile Gautier (1811-1872), escritor, poeta, jornalista e crítico literário francês escreve em 1866, o romance “Spirite”, que aqui no Brasil leva o nome de “Ignorado Amor”, considerado o primeiro romance espírita surgido no mundo, já que o poeta frequentou a Sociedade Espírita de Paris, diz: O Acaso é o pseudônimo de Deus quando este não quer assinar a sua obra.
Apelamos para Gautier para chamar a atenção de todos, acerca do “acaso” mencionado, quando em 2011 comemora-se 150 anos de “O Livro dos Médiuns” (FAC SIMILE DA PRIMEIRA EDIÇÃO NO ARTIGO DE 09/09/2011 ABAIXO), juntamente com os 70 anos da consagrada obra cristã e espírita trazida às reflexões do público e que passou a compor o Conhecimento Espírita em sua face ético-moral.

A mediunidade espírita será um dia um manancial de descobertas efetivas não somente com relação aos fatos que permeiam a história humana, como no caso da obra comemorada, como em muitas outras trazidas por Emmanuel, Charles (Espírito orientador de Yvonne), Amélia Rodrigues, Cneio Lucius, através da psicografia, da psicofonia e psicometria ou todas elas juntas pois estão todas interligadas aos fatores mediúnicos e anímicos de médiuns e sensitivos, mas também acerca das necessárias instruções com relação ao desenvolvimento científico, trazendo alívio ao sofrimento humano, e ainda alicerçando – pois este é o maior objetivo da Doutrina dos Espíritos - de forma racional, a fé humana em Deus, em Suas Leis e na Vida.

Tracemos rapidamente o esboço do livro de autoria do Espírito Emmanuel. A sua primeira parte narra a história de Estêvão, primeiro mártir da cristandade, sua juventude, onde já manifestava os sinais de sua superioridade espiritual, e dos personagens Abigail, sua irmã e futura noiva do vaidoso doutor da lei, Saulo, da cidade de Tarso, e de Jochedeb, seu pai. O martírio deste último, ante a Roma envaidecida de seu poder, as lutas pela implantação do Cristianismo de Jesus, a morte de Estevão e o encontro de Saulo com Jesus às portas de Damasco.
Na segunda parte, Emmanuel relata em detalhes, o processo de solidificação do Cristianismo no Ocidente, as lutas dos apóstolos, o encontro de Paulo com o poder utópico de Roma simbolizado pela figura de Nero, os sucessos e os sofrimentos de Paulo que, no dizer de Emmanuel, foi o responsável pela permanência dos ensinos do Mestre, em sua pureza, na Terra dos homens.
Para os espíritas lúcidos, "Paulo e Estevão" significa, ainda em nossos dias e por muito tempo ainda, um verdadeiro roteiro e paradigma de conduta cristã e espírita, porque baseado no entendimento claro e preciso do amor à causa de Jesus e o que ela significa para a Humanidade.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

PRIMAVERA !





Saudamos e nos confraternizamos com os colegas de ideal espírita que estudam conosco na França, Inglaterra, Japão, e todos os demais países que nos contatam através dos blogs internacionais do EFE



A PRIMAVERA (veja quadro “Jardin” de Claude Monet no blog http://filosofiaespiritaencantamentoecaminho.blogspot.com nos remete à ideia de renovação, de reinício, de recomeço; esses passos em nossa existência devem ser floridos, como o jardim de Monet; estamos entrando na Primavera, portanto, renove as suas esperanças, reinicie os planos que a vida lhe propôs, recomece, mas desta vez com alegria, com satisfação, com muito empenho!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O QUE É ESPIRITISMO - BREVES REFLEXÕES EM AULA


CIÊNCIA ESPÍRITA (LM - O LIVRO DOS MÉDIUNS), FILOSOFIA ESPÍRITA (LE - O LIVRO DOS ESPÍRITOS), RELIGIÃO (NÃO NO SENTIDO DOGMÁTICO – ver Leis Morais, Lei de Adoração) ESPÍRITA (ESE- O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO)= SINTETIZAM O EDIFÍCIO DA DOUTRINA ESPÍRITA

EDIFÍCIO DA DOUTRINA ESPÍRITA; PLANEJAMENTO DOS ESPÍRITOS SUPERIORES NO SENTIDO DE REORDENAR AS CORRENTES DO PENSAMENTO UNIVERSAL (STS)
LE: CONTEXTUALIZAVA, NUMA MARAVILHOSA SÍNTESE, TODA A EVOLUÇÃO INTELECTO-MORAL DO SER HUMANO, ABRINDO-LHE AS PORTAS PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
LM: ENTRELAÇAVA VÁRIOS RAMOS DO CONHECIMENTO COM UMA NOVA CIÊNCIA EXPERIMENTAL, PIONEIRA, PORQUE INVESTIGATIVA DE OUTRAS DIMENSÕES JAMAIS ALCANÇADAS PELA RAZÃO
ERGUIDO O PILAR FILOSÓFICO DA DOUTRINA E INDICADOS OS SEUS SUPORTES CIENTÍFICOS OU EXPERIMENTAIS, RESTAVA, PORTANTO, EXPLORAR AS INEVITÁVEIS CONSEQUÊNCIAS RELIGIOSAS E INFERIR AS IMPLICAÇÕES ÉTICAS.
QUE PRECEITOS MORAIS PODERIAM E DEVERIAM SER REFORMULADOS PARA QUE SERVISSEM DE ROTEIRO À CRIATURA NA SUA BUSCA DA VERDADE E NA CONSTRUÇÃO DO REINO DE DEUS ?
“NO CRISTIANISMO SE ENCONTRAM TODAS AS VERDADES – ESPÍRITO DA VERDADE, 1860 – SÃO DE ORIGEM HUMANA OS ERROS QUE NELE SE ENRAIZARAM”
“ESPÍRITAS, AMAI-VOS, ESTE O PRIMEIRO MANDAMENTO; INSTRUÍ-VOS, EIS O SEGUNDO”

PROGRAMA DE RESTAURO DOS ENSINAMENTOS DE JESUS , EM SUA PRIMITIVA PUREZA, LIBERTANDO-O DOS ERROS QUE NELE SE INCRUSTARAM;
BEM COMO ATUALIZÁ-LOS, COM O INSTRUMENTO DA CIÊNCIA ESPÍRITA E DA FILOSOFIA ESPÍRITA OFERECIDOS NA CODIFICAÇÃO
O ESPIRITISMO NÃO VIERA DESTRUIR O CRISTIANISMO, MAS REEDIFICÁ-LO.
1864 : O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO
NELE KARDEC SITUOU A DOUTRINA NO CONTEXTO DO EVANGELHO E PROPÔS A ADOÇÃO DA MORAL CRISTÃ
LONGE DE CHOCAR-SE COM AS IDEIAS BÁSICAS DE JESUS, O ESPIRITISMO AS COLOCA SOB NOVA LUZ, REVELANDO ANGULAÇÕES QUE NÃO HAVIAM AINDA SIDO PERCEBIDAS OU COMPREENDIDAS: CONCORDA COM O MESTRE, MAS DISCORDA COM AS PRÁTICAS VIGENTES.
SEM ASSUMIR A POSTURA DE UMA NOVA SEITA RELIGIOSA, O ESPIRITISMO É, DEFINITIVAMENTE, UMA CONCEPÇÃO CRISTÃ DA VIDA ESPIRITUAL, COM TODO O ELENCO DE CONSEQUÊNCIAS QUE DAÍ DECORREM.
“OBRA DE CORAGEM, TANTO QUANTO DE AMOR, ROTEIRO LUMINOSO DE CONQUISTAS ESPIRITUAIS, REPOSITÓRIO DE VERDADES ETERNAS. NELE PODE A FÉ, PELA 1ª. VEZ, ‘ENCARAR FRENTE A FRENTE’ A RAZÃO.” (H.Miranda).
(excertos de autoria de Hermínio C. Miranda (1978), comentados em aula do VER-Visão Espírita da Religiosidade, com os estudiosos presentes)
CONHEÇA O ESPIRITISMO: ESTUDOS FILOSÓFICOS ESPÍRITAS
CONSULTE OS SEGUINTES BLOGS DE ESTUDO E PESQUISA:


http://filosofiaespiritaencantamentoecaminho.blogspot.com
http://vervisaoespiritadareligiosidade.blogspot.com
http://filosofiaespiritaemediunidade.blogspot.com
http://filosofandocotidiano.blogspot.com
http://spiritistphilosophy.blogspot.com
http://philospiriteravissementetcheminement.blogspot.com
http://filosofiaespiritacomjapao.blogspot.com

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

MEDIUNIDADE OU PROFETISMO?


O LIVRO DOS MÉDIUNS – 1861-2011

MUITO MAIS IMPORTANTE DO QUE A PRÁTICA MEDIÚNICA FORMAL NAS INSTITUIÇÕES DOUTRINÁRIAS, TEMOS DE APRENDER A VIVER O ESPIRITISMO, USANDO NORMALMENTE A FACULDADE HUMANA DA MEDIUNIDADE ESTÁTICA OU GENERALIZADA DE QUE DISPOMOS: O BOM-SENSO, O CRITÉRIO LÓGICO, A PERCEPÇÃO EXTRA-SENSORIAL, AS INTUIÇÕES E INSPIRAÇÕES, A VIVÊNCIA ÉTICA E MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS...

COM A VIVÊNCIA ESPÍRITA CONSCIENTIZADA E BEM ESTRUTURADA EM NOSSAS VIDAS, DEIXAMOS A ROTINA DAS PERTURBAÇÕES PARA VIVER A PAZ COMPREENSIVA E RICA DE POSSIBILIDADES ESPIRITUAIS;

TENDO COMPREENDIDO A FINALIDADE DO ESPIRITISMO EM SEU SENTIDO CÓSMICO, NÃO APENAS TERRENO, HABILITAMO-NOS A VIVER OS DESAFIOS DA EXISTÊNCIA SEM PERDER A VISÃO DO FUTURO. (JHPires)

Dizem os Espíritos orientadores na codificação espírita corroborando Jesus em Lucas, 6:43-45: “cada árvore é conhecida pelos seus frutos” e em Mateus, 7:15-20 e 24:4-5, 11-13, 23-24: “...guardai-vos dos falsos profetas, porque virão muitos em meu nome, dizendo: “Eu sou o Cristo, e enganarão a muitos” -, que haveria um tempo em que a verdade poderia ser mesclada com idéias equivocadas originárias de leituras descritivas do momento, por vezes confusas ou arbitrárias, muitas delas provenientes de seitas, doutrinas e religiões que ainda se prendem ao mito e ao misticismo, alimentando as superstições da multidão que busca, por vezes em desespero de causa, explicações para o momento conturbado e angustioso (cap. XXI de O Evangelho Segundo o Espiritismo, Falsos Cristos e Falsos Profetas). (...)(Artigo na íntegra:http://www.feal.com.br/artigo.php?car_id=37&col_id=22&t=Mediunidade-ou-Profetismo)

Junto a este processo, vemos a mediunidade, tão bem estudada, pesquisada, analisada e elucidada no Espiritismo, em bases experimentais seguras de razão e lógica mas também com a finalidade da completude do ser que se atualiza evolutivamente no constante contato com esferas superiores da Existência em bases de amor e caridade, sendo transformada em mero profetismo aos moldes dos arcaicos oráculos gregos.
(...)
Porém, esquecemos que acima de nossa pequena capacidade cognitiva, burilada nas academias humanas, e perceptiva, seja ela intuititiva ou mediúnica, existem percepções de amplitude jamais pensada pelo ser humano da Terra. Jesus, habitante dessas esferas iluminadas, não nos trouxe receitas para a solução imediata de nossa rebeldia contra as leis divinas educadoras mas sim, a cura para o Espírito que insiste em transitar no período consciencial mosaico do olho-por-olho-dente-por-dente.

Estamos, sem dúvida nenhuma, no processo de enfrentamento de nossas aflições, pois estas são frutos das ações causadas individual e coletivamente ao longo da história humana vivida nas diversas culturas, numa linha do tempo que partiu da primeira noção de individualidade e culmina agora, com a civilização moderna, materialista e consumista, construída em padrões de desvalia das virtudes que enobrecem o Espírito.

Abriu-se campo para a dúvida, que de tão útil com Descartes e Kant, torna-se hoje móvel de desequilíbrio nas atitudes. E chegamos até a questionar os Grandes Mensageiros do Bem que construíram a Codificação Espírita na Terra, atribuindo-lhes palavras não pronunciadas, ensinamentos não transmitidos (ou mal interpretados), leituras nas entrelinhas que não realizaram, pois o intento das atitudes dos Espíritos do Bem é o Amor, e o Amor não usa máscaras, não se oculta, ao inverso, mostra-se com toda a Beleza de que é portador, num gracioso convite à humanidade atormentada para que caia em si e faça como Ele indicou.

Buscamos ainda, ansiosos, a tão propalada Geração Nova descrita pelo codificador Allan Kardec, no olhar das crianças nascentes, esquecendo-nos de que a palavra “geração”, em sua tradição histórica (e espírita) refere-se à geração evolutiva, o que demanda séculos de aprimoramento, de trabalho, de sofrimento estimulador, de aperfeiçoamento, seja nos planos dimensionais desprovidos da matéria como a conhecemos, seja reencarnados a ensejar a mudança consciencial efetiva que mudará aos poucos o padrão vibratório, a psicosfera, as energias circulantes neste plano de existência (...) , propiciando espaços dimensionais específicos à futura reencarnação de Espíritos que continuam a realizar o seu progresso intelecto-moral (...).

Paralelamente, um mercado mundial de livros espiritualistas de origem igualmente obscura, assinadas por pseudo-orientadores do mundo espiritual, a ditarem regras e condutas de cunho eminentemente pessoal, pretensamente buscando elucidar - fica claro que de acordo com suas próprias crenças e opiniões -, e fazer adeptos, num proselitismo ausente de quaisquer padrões conducentes ao Bem individual e comum, senão somente ao egocentrismo.

Esses livros, muitos dos quais chegando hoje às prateleiras espíritas, seguramente deveriam ser mais profundamente analisados pois muitos contrariam informes trazidos nas obras de Espíritos eminentes que se seguiram à codificação, senão ela própria, seja entre os Pioneiros (Léon Denis, Delanne, Bozzano, Aksakoff, etc.) que sustentaram a idéia e o trabalho espírita com a força de sua argumentação e de sua fé contra o Espiritualismo vigente em todas as épocas e que tentou e tenta fazer prevalecer a sua mística onírica por sobre a efetiva Fé Raciocinada.

Com respeito aos médiuns que ajudaram a construir o edifício espírita, principalmente no Brasil, as suas atitudes falam por si. Muitos aguardavam por vários anos até divulgarem o trabalho do qual eram os fiéis instrumentos, para que os ensinamentos lá contidos se manifestassem concreta e verdadeiramente, seguindo à risca o Controle Universal do ensino dos Espíritos, como foi o caso de Yvonne do Amaral Pereira e o “Memórias de um Suicida”, como foi o caso de Chico Xavier e das obras dos Espíritos Emmanuel e André Luiz, bem como de tantos que se doaram à Causa de Jesus manifestada entre nós no formato de 3a. Revelação, o Espiritismo, apagando-se às homenagens humanas que sabiam ser pertencentes aos Espíritos, senão ao próprio Jesus (...)
Após 150 anos da primeira edição de O Livro dos Espíritos, sem dúvida nenhuma a mensagem eterna lá transmitida perdurará apesar do momento aflitivo que todos vivemos. E é na codificação, nas obras pioneiras que se seguiram, no trabalho dos médiuns missionários trazendo-nos de forma límpida e clara os ensinos dos Espíritos orientadores, e ainda nos estudos e pesquisas de estudiosos espíritas conscientes, numa seqüência lógica e coerente, que poderemos encontrar as respostas para as grandes questões que afligem hoje a alma humana, de todas as formas considerada. E gradativamente entenderemos o que os Espíritos quiseram dizer com a afirmação de que o Espiritismo é progressista, pois estaremos alcançando o seu verdadeiro sentido, ensejando a ampliação de nossa capacidade intuitiva, dilatando a própria consciência que se despirá das provas e expiações contundentes e violentas e assumirá outros desafios menos dolorosos, porque sempre construtivos.

No futuro, a ciência humana - que é feita por seres humanos - irá, definitivamente, ao encontro dos princípios espíritas tão cuidadosamente pesquisados por Kardec, sem preconceitos, sem atavismos, sem espírito de sistema, sem aspirações de usufruto pessoal de uma obra que é divina, sem tentativas de enquadramento no arbitrário e soberbo academicismo, sem dogmatismos, sem estreiteza de pensamento porque pautados pelo orgulho e vaidade pessoais que tentem sobrepujar-se à obra dos Espíritos.

Por ora, ficamos com as aflições que exigem urgente solução. E esta só surgirá se houver maturidade, coragem, renúncia, solidariedade e compaixão para conosco e o nosso próximo.

domingo, 4 de setembro de 2011

MEDIUNIDADE COM ALLAN KARDEC


“A força do Espiritismo não reside na opinião de um homem ou de um Espírito; está na universalidade do ensino dado por estes últimos; o controle universal, como o sufrágio universal, resolverá no futuro todas as questões litigiosas; fundará a unidade da doutrina muito melhor que um concílio de homens”. (Allan Kardec, Revista Espírita, 1864, maio.)

“(...) Uma coisa pode ser excelente em si mesma, muito boa para servir de instrução pessoal; mas o que deve ser entregue ao público exige condições especiais.

Infelizmente o homem é inclinado a supor que tudo o que lhe agrada deve agradar aos outros. O mais hábil pode enganar-se; tudo está em enganar-se o menos possível”. (Allan Kardec, Revista Espírita, 1863, maio.)

“O primeiro controle é, sem sombra de dúvida, o da razão, à qual é preciso submeter, sem exceção, tudo quanto vem dos Espíritos”. (Allan Kardec, Revista Espírita, 1864, abril.)

“(...) No mundo invisível como na Terra, não faltam escritores, mas os bons são raros”. (Allan Kardec, Revista Espírita, 1863, maio.)

“(...) Observai e estudai com cuidado as comunicações que recebeis; aceitai o que a razão não recusar, repeli o que a choca; pedi esclarecimentos sobre as que vos deixam na dúvida. Tendes aqui a marcha a seguir para transmitir às gerações futuras, sem medo de as ver desnaturadas, as verdades que separáveis sem esforço de seu cortejo inevitável de erros”. (Santo Agostinho, Revista Espírita, 1863, julho.)

“Em resumo, publicando comunicações dignas de interesse, faz-se uma coisa útil. Publicando as que são fracas, insignificantes ou más, faz-se mais mal do que bem. Uma consideração não menos importante é a da oportunidade. Umas há cuja publicação é intempestiva e, por isso, prejudicial. Cada coisa deve vir a seu tempo. Várias delas que nos são dirigidas estão neste caso e, posto que muito boas, devem ser adiadas. Quanto às outras, acharão seu lugar conforme as circunstâncias e o seu objetivo”. (Allan Kardec, Revista Espírita, 1863, maio.)

sábado, 3 de setembro de 2011

MEDIUNIDADE COM A DOUTRINA ESPÍRITA


Por ocasião do 50º. Aniversário do Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz recebi convite fraterno por parte dos companheiros do Conselho Doutrinário da nobre Instituição para conhecer as questões de maior interesse sobre o tema Mediunidade junto ao seu corpo de trabalhadores. À oportunidade de convivência mais próxima com todos somou-se a importância do momento para a Casa. Somados os esforços da equipe, seguiríamos a tradição filosófico-espírita (perguntas e respostas) contida em O Livro dos Espíritos, e, após elaborar sequência de perguntas, o orador convidado Divaldo P. Franco respondeu-as num encontro fraterno nas dependências do Centro de Santana, naquele verão de 1999, com a presença de todos os trabalhadores e alunos e suas respectivas famílias. Findo o evento, o fraterno convite pessoal do orador para que elaborasse um livro no mesmo formato de perguntas e respostas, lançado naquele mesmo ano pela Editora Mundo Maior, da Fundação Espírita André Luiz, em várias edições (capa ao lado). O resultado deste trabalho, constante do livro mencionado, faz parte da bibliografia do Projeto Estudos Filosóficos Espíritas - Estudos sobre a Mediunidade segundo a Filosofia Espírita, que fundamentalmente se baseia em Allan Kardec, e com a obra de estudiosos como Léon Denis, Gabriel Delanne, Ernesto Bozzano, José Herculano Pires, dentre outros.

Com toda a Equipe de Apoio em Estudos e Pesquisas-EFE, compartilhamos das alegrias do Filosofar Espírita: Alexandre, Victor, Wilson, Mario, Salete, Floreci, Marcelo, Angel num fraterno encontro de almas afins. O carinho e o respeito de toda a Equipe de Apoio em Estudos e Pesquisas-EFE às turmas de estudiosos espíritas do EFE e do VER no Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz, bem como à comunidade espírita que compartilha deste trabalho. Nossa sempre e constante convivência fraternal aos companheiros do CENL-CAL, hoje num encontro conjunto para o labor espírita.

Aos médiuns sérios e laboriosos de todos os tempos, em especial aos que compuseram a Falange do Espírito da Verdade, aos médiuns dedicados e fiéis à Doutrina dos Espíritos no Brasil, cujo trabalho será aqui divulgado, dedicamos este modesto trabalho.

Aos benfeitores espirituais, somamos a nossa gratidão à gratidão de todos os que se ocupam hoje em divulgar o Espiritismo, pelo surgimento da Doutrina de Luz, num dos momentos mais decisivos da evolução intelecto-moral humana - todo o mérito aos Espíritos Construtores da sublimidade da Alma, a Allan Kardec e aos pioneiros do Espiritismo, a Jesus de Nazaré, Espírito ímpar.
Que ela possa aquecer as mentes e os corações de todos, neste grande momento de opções para o Bem definitivo.